dezembro 19, 2012

Acordai ou la mort!




Se aos deuses nada é impossível,  a nós , homens e mulheres de boa vontade ,que não somos eternos , compete sacrificar a própria vida por um mundo melhor .

A evidência de que na História não há inevitabilidades ficou gravada nas palavras- Liberté, Egalité, Fraternité, ou la mort! – o mote que nunca morrerá.
  Nem sempre o mal acaba por triunfar , nem o rico sobre o pobre, nem o forte sobre o fraco.


 Existem milhares de histórias  de avanços e recuos, como este retrocesso português.  Há quem preferisse silenciar-nos.  Mas felizmente  temos  as palavras , a música e os poetas .

  Um   dia  cantámos José Gomes Ferreira e Lopes Graça.

Acordai
acordai
homens que dormis
a embalar a dor
dos silêncios vis
vinde no clamor
das almas viris
arrancar a flor
que dorme na raíz

 

Acordai
acordai
raios e tufões
que dormis no ar
e nas multidões
vinde incendiar
de astros e canções
as pedras do mar
o mundo e os corações


Acordai
acendei
de almas e de sóis
este mar sem cais
nem luz de faróis
e acordai depois
das lutas finais
os nossos heróis
que dormem nos covais
Acordai!




 Já faltou mais para descobrir o gesto certo , a hora certa , para fazer “ o que ainda não foi feito” .

Chega de “embalar a dor dos silêncios vis”, basta de sermos “ raios e tufões adormecidos”, quando é que vamos “acender de sóis este mar sem cais” ?









  mjc

Sem comentários:

Enviar um comentário