setembro 17, 2011

beleza é fundamental?

Ao delicioso artigo “Este é o meu corpo!” que Conceição Caleiro escreve no ípsilon sobre o livro de Iaia Caputo , As Mulheres Nunca Envelhecem , dediquei hoje parte do meu precioso tempo, e valeu a pena. É que eu também envelheço e, já tendo ultrapassado os 60, garanto, minhas amigas que isto é muito mais fácil do que parece. Aos 40 toda a gente me perguntava, então, a crise dos quarenta? Cá eu, sorria contrafeita por não ter nenhuma  queixa  para apresentar –  talvez esse papão me tenha levado a alguns exageros , antes que seja tarde deixa lá pôr-me agora a fazer teatro , antes que seja tarde, vou-me apaixonar um bocadinho por este puto que é tão lindo, só um amor platónico, não é traição. Pelos cinquenta participei em conversas de circunstância, pois, a idade, para melhor não vamos de certeza… que até parecia mal pôr-me a alardear o contrário.

Mas, meninas, digo-vos que não foi nada assim, antes pelo contrário. As coisas difíceis que me foram acontecendo, nada tiveram que ver com a idade. Asseguro-vos que não há razão para ter medo , e nem que seja a vossa própria mãe a sugerir a idade, filha, eu sei bem o que isso é , estás a começar a sentir  bla ,bla,bla  , não acreditem em mudanças para pior, antes pelo contrário, o vosso corpo vai continuar a funcionar, os vossos apetites serão satisfeitos,  o olhar dos homens continuará a fazer parte do vosso dia-a-dia , independentemente de estarem ou não acompanhadas da vossa maravilhosa filha . 

Não, nós não nos mantemos sempre jovens,  “de corpos e rostos para  sempre perfeitos” .Não “dilacerem” a vossa moral com essa ilusão, amigas, não receiem não ser mais o objecto do desejo deles, se há alguns que padecem de “uma recaída no líquido amniótico ladeados por mulheres etariamente próximas de filhas e netas” .

Não ,  não é só o olhar masculino a determinar o prazo de validade da nossa feminilidade ,e  não somos nem um iogurte nem uma lata de ervilhas

   O que atrai um homem ou um bicho é a força que emana, uma energia que advém da vida vivida, mais do que qualquer outra coisa faz as mulheres atraentes
 “  Momentos assim reforçam a auto estima e é deles que nos podemos povoar”. É mesmo, Conceição, a minha ficou reforçada só de ter lido a crítica, imaginem que tinham de me aturar depois de ler o livro?

  A verdade é que este artigo , as citações de Keats ,Elisabeth Bishop ou  o olhar de Iaia  sobre Caravaggio   , me trazem ao espírito o poema de Lou Salomé , que desejo sempre lembrar- amo-te oh vida , oh, misteriosa vida!

2 comentários:

  1. Alarvemente,apetece dizer o "cliché":

    A juventude é uma doença que se cura!

    Curado

    ResponderEliminar