dezembro 03, 2009

Natais e timelines

2006
“Quando aqui for amanhã”, diz a susana de las vegas e “aqui” passa de repente a ser uma palavra diferente, aqui o global mundo dela e nosso, amanhã,sempre que haja amanhã, mesmo que haja amanhã, se houver amanhã, na guerra total da terra inteira. A intemporalidade do espaço infinito, o valor das palavras, o natal da ana paula, o natal do sadham, das crianças que decidiram experimentar a morte que viram na televisão, a culpa de não ter dado uma prenda à mãe, a carta, o texto premiado não importa onde, onde dizia que a amava, isso o que conta, dou-te para o ano, o tempo que não chegou a acontecer, o objecto prenda, o consumo, a prova de vida, a prova de amor, um cachecol, um lenço italiano, um prato de arroz, o condenado à morte, o condenado à fome, o condenado ao abandono, gilberta dentro de um poço.
A eta, as sirenes no mar da nazaré, o lisboa-dakar, what a wonderful world.

2008
As pessoas que nos aparecem nesta altura, bom natal, bom natal com um ar pretensamente alegre, lembro- me de ti somos amigos e um saco de plástico com um embrulho surpresa. Gostar de alguém para que não deixem de gostar de nós. Querermos estar com para não estarmos sozinhos, numa época de solidões, solidões de maxilares apertados e a dormência do corpo todo, cinzento. Apetece ser capaz da raiva, de virar a mesa, sacudir o ser e acordar para a vida. I could use some tears if I had them, mas elas não habitam mais em mim, tenho perdido as lágrimas, só o peito amarrado, o medo, os estupidamente medos, eu vos esconjuro medos, ide-vos no vento deste Inverno, enfiai-vos para debaixo da terra fria, desvanecei -vos nos fluidos nublados de azul chumbo do céu.

2009
Como se tivesse bebido a água calma do ribeiro, ou me tivesse banhado sob a cascata quente, elanguescer. Uma gota de felicidade uma noite bem dormida um copo e uns amigos ou uns amigos mesmo sem copo um beijo na pele macia do teu ombro, um olhar cúmplice da cumplicidade de todos os dias do hábito da rotina calmante da casa aquecida da chávena de chá do livro para ler.

2007,2008,2009........
Food Out of Reach: A Timeline

1 comentário:

  1. Ainda bem que 2009 chegou, levou os medos de 2008 e os gritos de 2006.

    ResponderEliminar