outubro 09, 2010

Agarrem-me senão eu mato-o!











Os mercados estão nervosos, acalmem-se os mercados !

Sr. Durão Barroso, escrevo-lhe esta carta porque acabo de ouvir o seu apelo desesperado. Que o aprovassem (ao orçamento) para que se acalmassem os mercados.


Ia eu a subir a Calçada da Estrela , faço umas horas ao sábado de manhã ali para os lados do Quelhas, falando com os meus botôes – mas quem são eles, os mercados? Para mim um mercado é um local onde se merca, mercanceia, em suma um comércio, de frutas ou copinhos de vinho, nalguns até se arranja uma sandezinha de chouriço a bom preço. Fazem sandes, tiram bicas e vendem-nas. Ponto final.

Meto-me no elevador, de balde de plástico , esfregonas e detergentes e não consigo deixar de pensar naquilo. E o que é que os mercados venderão? Para serem tão importantes devem vender coisas para ricos…automóveis? Hotéis com Spas, gasolina? Com quem é que eu poderia esclarecer as minhas dúvidas?
Quando cheguei cá acima ao escritório do Senhor Professor liguei a televisão. Estava a dar aquele senhor do Bloco que sabe muito de História. Com este não vou lá, não entendo o que ele diz, pronto! Ao menos o Sócrates toda a gente o percebe, ainda ele não acabou de falar já se está mesmo a ver que se trata de uma cabala, que o querem é lixar, que estamos muito melhor do que andam para aí a dizer, que até vamos embolsar em receitas de impostos o triplo do que eles tinham previsto (será que se enganaram nas contas?).

Isto é tudo muito complicado, como diz o meu patrão, pois se lá em casa, com tão pouco dinheiro é o que se vê, imagine-se com estes milhões todos. Já está. A secretária do Senhor Professor, tudo limpo sem ter tirado um único papelinho do sítio, como ele gosta. Agora vamos aos sanitários. Quando voltei ao gabinete e mudei para a TVI ,estava então a dar aquele Senhor, já de idade, o que se exalta muito. Que não passava de mais uma crise do capitalismo, o capital financeiro, será que percebi bem? Parece que eles vendem dinheiro… Ah!!! Falta o vidro da janela grande. Vamos buscar o escadote. Mas se eles vendem dinheiro, isso deve dar muito lucro, andam com as notas de um lado para o outro…. Pelos computadores! Nem precisam de as carregar num saco daqueles para assaltar bancos, que não dá jeito nenhum! UPS! Quem quer bons empregos arranja-os…

Espera aí, parece que o problema é que os mercados estão à beira dum ataque de nervos, lá está o bonitão a falar, e a Manuela, amigos outra vez? Se ao menos houvesse aqui um jornal velho para polir a vidraça, - raisparta, já nem aqui usam jornais… Não nos querem emprestar dinheiro, não têm confiança em nós. O que é que eles fazem com os juros que vão recebendo? Ah, vamos com calma, se calhar ouviram essas intrigas que andam para aí, que o Sócrates é um aldrabão, que gasta o que não tem em jantares e festarolas, ouviram falar do Freeport, dos submarinos, dos polícias a quem não compram algemas e por isso é que não está tudo preso…
Oh, Sr. Durão Barroso, explique-me lá o senhor, que até já foi amigo da classe operária e de quem como eu tem que fazer uns biscates para pôr comida na mesa (ontem o cação estava a 10 euros o quilo!). Porque é que temos que aprovar o orçamento para o governo não cair?
Porque se cair vão para lá outros da mesma pandilha, ou de um gang vizinho?


E nã haver uma alminha que fizesse começar tudo de novo. Estamos f……framed, nós e o Roger Rabbit.

2 comentários:

  1. Just on the bull's eye!
    I say:

    BLESSED THOSE WHO ARE BEHOND THE OBVIOUS!!!!


    OBVIOUS

    ResponderEliminar